Dispositivo Supraglótico e Intraósseo

Carga Horária: 10

Em cenário de emergência a manutenção de vias aéreas patentes é prioritária, por vezes ressuscitadores manuais com máscara facial não apresentam vedação adequada ou técnicas de intubação orotraqueal (IOT) convencionais trarão atraso ao tratamento definitivo em vítimas com vias aéreas difíceis. O curso aborda as causas mais comuns de Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e as diversas modalidades de suporte ventilatório até a capacitação do aluno para intervenção com dispositivos alternativos à IOT e manutenção de via aérea supraglótica pérvia até o tratamento definitivo do paciente.

Nos diferentes segmentos de atenção: APH, PS, CC, CM, UTI, seja com o público pediátrico, infantil, adulto ou idoso, toda correção farmacológica dependerá de uma via de acesso parenteral, a mais usual é a via de acesso venoso periférico (AVP), quando possível um cateter venoso central (CVC) pode ser mais efetivo para drogas concentradas ou grandes reposições volêmicas.

Por vários dificultadores (abordados neste curso) essas vias usuais estarão indisponíveis, logo, lança-se mão dos dispositivos intraósseos (I.O) para correção hemodinâmica dos pacientes gravemente enfermos ou em PCR.

Plano de Estudos do Curso

Objetivo Geral

Capacitação dos profissionais da saúde que atendem pacientes gravemente enfermos sem condições de intubação orotraqueal convencional, relacionadas a via aérea difícil ou outros dificultadores e que necessitam de respiração artificial através dos dispositivos supraglóticos temporários. 

Habilitação na utilização do Dispositivos de Acesso Intraósseo dos profissionais da saúde que atendem pacientes gravemente enfermos sem condições de acessos venosos periféricos, em situações inóspitas ao acesso venoso central, e que, necessitem de infusões parenterais com extremos de osmolaridade e/ou volumosas.

Turmas Disponíveis

Gostaria de mais informações?

Informe seus dados que entraremos em contato.

© 2018 Nobre Educação.